Fotos de satélite mostram falta de eletricidade na Ucrânia

Após os ataques da Rússia à infra-estrutura crítica da Ucrânia nesta semana, o país está se apressando para restaurar a energia nas casas dos cidadãos, mas o clima adverso na forma de temperaturas abaixo de zero, chuva e vento estão dificultando os esforços, dizem as autoridades.

Milhões de ucranianos estão sendo “mergulhados em extrema dificuldade e condições de vida terríveis” devido a isso, alertou o chefe de direitos humanos da ONU, Volker Turk, na sexta-feira.

Aqui estão mais manchetes:

Metade de Kyiv continua sem energia: Cerca de 50% da capital da Ucrânia, Kyiv, ficou sem energia na manhã de sexta-feira após os ataques russos, segundo autoridades ucranianas.

A água foi totalmente restaurada e as equipes de emergência estão trabalhando rapidamente para restaurar o calor da cidade, informou a administração militar da cidade de Kyiv.

Déficit de eletricidade: Embora a energia tenha sido restaurada para a infraestrutura crítica nas regiões da Ucrânia, os esforços para restaurar a eletricidade para os consumidores domésticos foram desacelerados, de acordo com a empresa nacional de fornecimento de energia Ukrenergo. Ainda há déficit de eletricidade e os consumidores perderão o acesso à energia em alguns momentos em “programas de restrição de consumo planejados e emergenciais”, disse a empresa na sexta-feira.

Bombardeios russos relatados perto de Zaporizhzhia e Nikopol: A Rússia atingiu os arredores da cidade de Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia, durante a noite de sexta-feira, disse Oleksandr Starukh, chefe da administração militar regional local, no Telegram sexta-feira, enquanto a região de Dnipropetrovsk, do outro lado do rio da usina nuclear de Zaporizhzhia ocupada pelos russos, também bombardeio relatado.

Observatório da ONU que fornece apoio a mais quatro usinas nucleares da Ucrânia: A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) começou a fornecer suporte local a mais quatro usinas nucleares ucranianas – Rivne, Khmelnytskyi, Sul da Ucrânia e Chornobyl – em resposta a um pedido do país, disse o diretor-geral da AIEA, Rafael Mariano Grossi, em um vídeo declaração na quinta-feira.

Após os ataques à infraestrutura de energia da Ucrânia, as usinas nucleares operacionais de Zaporizhzhia, Rivne, sul da Ucrânia e Khmelnytskyi foram desconectadas da rede e “forçadas a contar com geradores a diesel de emergência para obter a eletricidade de que precisavam para garantir sua segurança contínua”. disse Grossi.

A OTAN “não recuará” no apoio à Ucrânia: A OTAN não reduzirá seu apoio à Ucrânia, disse o secretário-geral Jens Stoltenberg em entrevista coletiva na sexta-feira.

Stoltenberg disse que os ministros das Relações Exteriores estão fornecendo “apoio militar sem precedentes” e espera que eles concordem em intensificar o “apoio não letal” na reunião de Bucareste.

Leave a Comment